8 de junho de 2017 Negócios Online440

O crescimento do comércio eletrônico no Brasil nos últimos anos

As vendas pela internet crescem ano após ano. O comércio eletrônico vem aumentando sua penetração junto aos consumidores em razão de muitos fatores, como, por exemplo, o crescimento do número de pessoas com acesso à internet, além do aumento das vendas de dispositivos móveis nos últimos tempos.

Esses dois fatores levam à conclusão de que não apenas as pessoas estão se conectando como também estão usando a internet para fazer suas compras, grande parte delas através de smartphones. Portanto, agora, mais do que nunca, os empresários devem se voltar para investir em e-commerce e garantir seu quinhão nesse crescimento do comércio eletrônico.

Neste ano já chegamos a praticamente metade da população brasileira com acesso à internet, sendo que o número de pessoas com aparelhos celulares está em 35% da população, enquanto que o número de pessoas que buscam o comércio eletrônico chegou a 20% dos brasileiros.

Os dados sobre o comércio eletrônico no Brasil

Um dos sites mais conhecidos por oferecer aos consumidores informações sobre a reputação do comércio eletrônico, o Ebit, publica, todos os anos, relatórios e levantamentos sobre o e-commerce.

O último relatório, publicado em 2016, divulgou o faturamento do comércio eletrônico. A cifra chegou a R$ 45 bilhões, ou seja, um aumento de mais de 8% em relação ao ano anterior. Os números de 2016 apresentam esse crescimento, mostrando que a tendência é que o comércio eletrônico continue a evoluir nos próximos anos.

O crescimento percentual de consumidores no comércio eletrônico é uma constante, inclusive pela facilidade de acesso à banda larga, como foi registrado também pelo Ebit.

Mesmo com a maioria da população ainda preferindo fazer compras em lojas físicas, esses números são bastante positivos, principalmente para quem já possui um comércio eletrônico, ou para quem pretende abrir seu próprio empreendimento na internet.

Devemos levar em conta que o hábito de fazer compras pelo comércio eletrônico ainda é bastante recente no Brasil, o que mostra a importância da internet para o futuro do comércio varejista.

Razões para o crescimento do comércio eletrônico no Brasil

Um dos pontos que favorece o crescimento do comércio eletrônico no Brasil é o fácil acesso à internet, havendo ainda a constatação de que o brasileiro está se sentindo mais confiante em fazer compras online.

Contudo, da mesma forma que em todas as mudanças de comportamento, estamos ainda numa fase de adaptação. Quando se trata de comércio eletrônico, um dos principais agravantes ainda é o receio de fazer uma compra que traga prejuízos financeiros.

O que está oferecendo mais confiança no comércio eletrônico é que, a cada dia, mais investimentos estão sendo feitos em selos de segurança e de reputação, assim como em outras ferramentas para garantir segurança nas compras. Essas atitudes ajudam a impulsionar as vendas online, já que o consumidor está sempre buscando praticidade. Ao oferecer confiança, os donos de lojas virtuais conquistam mais clientes.

Devemos também considerar o fato de que, nos últimos anos, a utilização da internet não está sendo feita apenas para comunicação pessoa, para participar de redes sociais ou para se divertir.

Hoje, muito mais do que antes, fazemos coisas pela internet, desde a utilização do internet banking, a entrega de imposto de renda e até mesmo os sites de órgãos de fiscalização, tornando o mundo virtual muito mais confiável.

Os números do comércio eletrônico, certamente, poderiam ser ainda melhores se todos os responsáveis pelo comércio virtual mantivessem maior segurança e, além disso, se houvesse mais fiscalização com relação a sites fraudulentos, o principal medo dos consumidores.

Comprar através da internet oferece muito mais praticidade, permitindo ao consumidor fazer as compras de sua própria casa, encontrando promoções mais vantajosas e, principalmente não precisando perder tempo em procurar nas mais diversas lojas.

É fácil entender que o comércio eletrônico também oferece preços bem mais acessíveis, principalmente porque o proprietário de uma loja virtual não precisa alugar um espaço comercial, não precisa ter custos de manutenção de sua loja e, na maior parte das vezes, não precisa de um grupo grande de colaboradores para atender o seu público-alvo.

Normalmente, um empreendedor no comércio eletrônico começa seu próprio negócio sem funcionários, ajudando a oferecer preços mais acessíveis em relação à concorrência. Com o crescimento do empreendimento, no entanto, é necessário buscar ajuda de terceiros mas, mesmo assim, o quadro de colaboradores é muito menor do que uma loja física.

Quem trabalha com comércio eletrônico pode ter, portanto, um baixo custo de manutenção, permitindo criar promoções e ofertas tentadoras, além de, evidentemente, oferecer a comodidade de entregar o produto na casa do cliente.

Toda essa facilidade faz com que o comércio eletrônico venha num crescendo constante nos últimos anos e, para o empreendedor criativo, oportunidades não faltam. Buscar o público-alvo para seu comércio, oferecer produtos personalizados, encontrar o nicho de mercado mais adequado possibilitam meios de conseguir excelentes lucros na internet.

Segmentos do comércio eletrônico com melhores perspectivas de crescimento

Hoje é possível comprar praticamente qualquer coisa através do comércio eletrônico, além da contratação de serviços os mais diferenciados. Para quem busca garantir seu lugar no e-commerce, a melhor sugestão é apostar em novos segmentos, fazendo pesquisas sobre o que está sendo procurado e é mais difícil de ser encontrado.

Portanto, como no mundo físico, no mundo do comércio eletrônico é preciso saber trabalhar com a concorrência, oferecendo diferenciais. Ao encontrar um bom nicho de mercado, a criatividade é o que vale para conseguir clientes.

Para quem busca apostar no comércio eletrônico em segmentos já consagrados, a concorrência é bem maior, embora o empreendedor possa contar com maior número de consumidores, já acostumados a fazer compras online. Essa condição pode ser facilmente verificada no segmento de modas e vestuário, de produtos de beleza e higiene e em equipamentos eletrônicos.

Os melhores segmentos do comércio eletrônico para o futuro, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, está nos bens digitais, como e-books, músicas, filmes on demand e outros voltados para o lazer e a diversão. Se você pretende investir no comércio virtual, pense nisso. Pode ser esta sua grande oportunidade.

Fabrício Trevisani